Quando os três colegas de redação foram acionados para reativar as mídias sociais do Serviço de Limpeza Urbana (SLU) do Distrito Federal, ele ainda não havia “nascido”. Algumas ideias foram lançadas, outras executadas, mas faltava ali algo – ou alguém – capaz de inovar e atrair o público jovem com sátira e humor, sem deixar de lado as informações que envolvem o processo de coleta seletiva do Governo do Distrito Federal (GDF), tema muito importante para esta gestão.

Não demorou muito até que Recicléverton, um super-herói às avessas, fosse criado e inovasse a comunicação no órgão de limpeza da cidade (veja mais no vídeo abaixo).

No SLUFlix, A Saga de Recicléverton conta a história de um homem com super poderes que tenta, a todo custo, salvar o meio ambiente e encontrar soluções que conscientizem a população sobre os cuidados na destinação do lixo em Brasília. Com humor e sem medo do ridículo, ele sai por aí vestido de colete e chapéu laranjas – cor dos uniformes da empresa – em episódios que têm o Parque da Cidade ou o Lago Paranoá como alguns dos cenários das suas desventuras.

Dos temas abordados, não ficam de fora a nova coleta seletiva que cobre 100% do Distrito Federal, como separar recicláveis de orgânicos, os dias alternados de passagem dos caminhões de coleta e, principalmente, a consciência ambiental – que muitas vezes é derrotada pela preguiça que temos em nós. E como todo herói que se preze tem um vilão a enfrentar, é ela, a Preguiça, a grande inimiga nas sagas de Recicléverton.

Quando os três colegas de redação foram acionados para reativar as mídias sociais SLU e criaram o personagem Recicléverton

Produção
Ator, músico e videomaker com formação em cinema, Jonathan Silva faz o papel de Recicléverton. É ele também quem escreve os roteiros. Junto estão os colegas de assessoria Luiza Barboza, estudante de Comunicação Organizacional e Layo Stambassi, aluno do curso de audiovisual, ambos o apoiam na produção seja por trás ou na frente das câmeras – entre outros papéis, Layo é quem dá vida à Preguiça.

Com baixo custo e poucos recursos, tudo é feito de forma caseira e quase amadora, sem tirar a seriedade e o comprometimento do primeiro plano.

“Queria um super-herói jocoso, com falhas e sem egocentrismo”, revela Jonathan, que lembra o estilo Afonso Brazza (famoso cineasta de Brasília) de fazer cinema, com baixo orçamento e atores e voluntários nos seus casting de filmagem. Drama, terror, suspense, musical e muita comédia são os gêneros que pincelam a produção da SLU no Facebook, Instagram e Youtube.

Temporadas

A Saga de Recicléverton já está no final da primeira temporada e prestes a completar 12 episódios no ar. Há também viodeclipes com músicas autorais. A divulgação acontece todas as quartas-feiras e alterna no calendário de produções da Assessoria de Comunicação do SLU com stories no Instagram, posts informativos e memes.

Um deles, inclusive, alcançou mais de 1,5 mil compartilhamentos ao tratar da mistura de recicláveis com orgânicos e rejeitos – condenada pelo herói da coleta seletiva.

A segunda temporada já está sendo escrita e deve começar a ser filmada nas próximas semanas. Os três R da consciência ambiental – reduzir (o consumo de embalagens), reutilizar (a embalagens adquiridas) e reciclar (o que já não tem mais utilidade) – serão tema principal da saga que vem por aí.

O objetivo do grupo de produtores é um só: que a mensagem seja captada e que o trabalho de conscientização seja atingido. “A forma que apresentamos não anula a mensagem”, resume o idealizador do personagem.

Fonte: Agência Brasilia

302 View